Açores avançam com grande campanha de desratização até março, envolvendo Governo, Câmaras e Juntas de Freguesia – Na Ilha de São Jorge já está em curso

ratas-holanda-w800-h600-medium

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas anunciou hoje que vai ser realizada uma grande campanha de desratização nos Açores, antes do período das sementeiras, envolvendo o Governo, as Câmaras Municipais e as Juntas de Freguesia, direcionada também à população em geral, para fazer face ao aumento do número de roedores.

“Durante este primeiro trimestre vai existir uma ação global em toda a Região. Em algumas ilhas, esta ação já está em curso, como é o caso de São Jorge. No caso concreto de São Miguel, está previsto fazermos também uma ação envolvendo departamentos do Governo, Municípios e Juntas de Freguesia e queremos também envolver a população”, afirmou João Ponte.

João Ponte salientou que, em matéria de controlo de roedores, é “fundamental” que todos os envolvidos adaptem boas práticas, sejam os agricultores, os empresários, as autarquias, o Executivo ou os particulares, numa ação concertada e articulada, para que surjam resultados positivos.

“É preciso que hajam planos de controlo dos roedores, que os agricultores também os tenham, as indústrias e as escolas. É preciso maior fiscalização e, nesse sentido, foi assumido que, quer da parte do Governo, quer da parte das autarquias, é preciso fazer esse esforço”, afirmou João Ponte, acrescentando que também terá de ser feito um maior esforço ao nível da sensibilização e formação.

O Secretário Regional revelou que será feito um manual de boas práticas simples e de fácil consulta para distribuição por toda a população e por todos os agentes, bem como serão realizadas ações de sensibilização e formação em todas as freguesias.

“O IROA não vai deixar de fazer o seu trabalho de manutenção dos caminhos, mas solicitamos aos municípios um maior envolvimento”, frisou.

João Ponte deu nota positiva ao trabalho que os municípios têm feito para dotar os concelhos com centros de recolha oficial de animais, acrescentando já existem na Região quatro centros licenciados, envolvendo oito municípios.

“Estão em falta 11 autarquias. Sabemos que muitos deles têm as obras em curso e viemos sensibilizar para que esse trabalho seja feito o mais rapidamente possível e alertar que, a partir de março, vamos fazer ações de controlo e inspetivas para o cumprimento da lei”, frisou o Secretário Regional.

GaCS/RM / Mark Marques | Info-Fajãs

12.01.2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *