Setor agrícola açoriano superou desafios especialmente difíceis em 2016, afirma João Ponte

160285

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou hoje que 2016 foi “um ano com alguns constrangimentos para o setor agrícola, sobretudo por razões externas à Região”, frisando que “os desafios foram superados em larga medida com a resposta imediata do Governo dos Açores e o empenho das associações representativas do setor, das indústrias e, sobretudo, dos agricultores açorianos”.

João Ponte salientou como causa destes desafios “a decisão de extinguir o regime de quotas de produção na União Europeia, que penaliza os produtores de países e regiões mais periféricas, agravada substancialmente pelo embargo russo aos produtos láteos e pela retração de importantes mercados importadores internacionais”.

O Governo dos Açores, frisou o titular da pasta da Agricultura, desenvolveu e continua a desenvolver todos os esforços, interna e externamente, para que o setor possa ultrapassar esta conjuntura desfavorável da melhor forma possível.

Nesse sentido, salientou que o Governo Regional tem lutado, em Bruxelas, pela defesa de medidas específicas para apoiar os produtores dos Açores e, na Região, “avançou com todas as medidas possíveis”, com os recursos existentes e no âmbito das suas competências, para apoiar este setor.

João Ponte apontou, como exemplo, “a atribuição cerca de cinco milhões de euros para medidas específicas destinadas ao setor do leite, verba que é superior aos 4,8 milhões de euros que, numa primeira fase, a União Europeia destinou a todo o nosso país”.

Além disso, o Governo Regional implementou um conjunto de medidas, como “o reforço em 2015 e 2016, no âmbito do POSEI, da dotação de verbas próprias do Orçamento regional, do prémio aos produtores de leite em mais cerca de 3,25 milhões de euros/ano, assim como a criação do SAFIAGRI III, que permite aos agricultores açorianos contar com uma comparticipação pública em 30% dos juros relativos a empréstimos destinados à atividade agrícola, podendo abranger um volume de empréstimos que foi reforçado no último Conselho do Governo para 140 milhões de euros”, acrescentou.

A estas medidas acresce a criação do Agrocrédito, um apoio à agricultura açoriana através de uma linha de crédito com juros bonificados, e o PROAMAF – Programa de Apoio à Modernização Agrícola e Floresta.

Relevantes foram também os investimentos em curso na Rede Regional de Abate, com o aumento sistemático no número de bovinos abatidos nos matadouros do arquipélago e expedidos para comercialização no exterior, com maior valorização do produto e com vantagens para a economia açoriana e para os produtores de gado de carne.

João Ponte afirmou ainda que a diversificação agrícola é “uma aposta que se afirma cada vez mais já que a Região tem um grande potencial para a produção de hortofrutícolas e avançou de forma significativa nesta área no último ano, tanto no aumento do número de produtores, como da área cultivada”.

Muito importante foi ainda o trabalho desenvolvido na melhoria da qualidade da vinha e do vinho dos Açores, dos processos de produção e do aumento significativo da área cultivada.

Uma tendência que será consolidada nos próximos anos e que traduz a estratégia do Governo Regional tendo em vista uma cada vez maior afirmação nos mercados exteriores.

Foram dados também importantes passos do ponto de vista da produção, da sanidade animal, da qualidade sanitária e nutricional do leite entregue nas fábricas, do dimensionamento das explorações, do maneio animal e melhoramento genético.

Registou-se também o aumento do número de explorações com acesso a abastecimento de água e eletricidade, com benefícios evidentes para os agricultores.

A indústria apostou fortemente na modernização com investimentos muito significativos em eficiência e em capacidade de transformação, sendo de realçar o surgimento de novas linhas vocacionados para a produção de produtos diferenciados e de maior valor com vista à conquista de novos mercados.

“Tudo isto demonstra uma forte confiança dos agricultores e da indústria no futuro de um dos setores mais importantes da Região na criação de riqueza e postos de trabalho”, afirmou João Ponte.

O Secretário Regional assegurou que, “apesar dos desafios serem enormes, o Governo dos Açores estará sempre focado em melhorar os resultados do setor agrícola e contar com aqueles que querem puxar o setor para cima”.

João Ponte falava no final de uma reunião com a Direção da Cooperativa Agrícola do Leste da Ilha de São Miguel, durante a qual reafirmou a importância do setor cooperativo no desenvolvimento da agricultura na Região, “contribuindo para a melhoria do rendimento dos agricultores quer através da promoção das vendas e dos preços pagos aos produtores quer através da redução dos custos dos fatores de produção nas explorações agrícolas”.

 
GaCS/SF / Mark Marques | Info-Fajãs
30.12.2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *