“Azores Fringe” pela voz de Terry Costa, apela a mais parcerias e espaços para arte

unnamed

O Azores Fringe, o festival internacional de artes, dos Açores para o mundo, abriu sua quinta edição neste fim de semana passado e continua com programação nas nove ilhas do arquipélago, até 30 de junho. Mais de 300 artistas participantes, oriundos de todas as ilhas, Portugal continental e de outros 50 países, mostram seu trabalho, elaboram pesquisa, desenvolvem novas linguagens artísticas e criam sinergias entre as mais variadas vertentes das artes.

Pela primeira vez, a Presidente da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, a Dra Ana Luisa Pereira Luís, esteve presente, sendo este o evento de abertura na Delegação do Pico da ALRAA. A Presidente reforçou o objetivo do diretor artístico da MiratecArts, Terry Costa, e fundador do Azores Fringe, que parcerias são o caminho certo para avançar com projetos, hoje em dia. A Dra Luis também fez ponto de vincar que as portas da ALRAA, e das suas delegações, estão abertas à cidadania para atividades como a do Fringe, sendo esta a primeira vez que a ALRAA recebeu pedido de tal parceria.

Por sua vez, José António Soares, Presidente da Câmara Municipal da Madalena, município anfitrião da sede e epicentro do Azores Fringe, realçou o dinamismo da associação MiratecArts e todos seus projetos, em especial o Fringe, que traz à vila da Madalena centenas de artistas. “O apoio da Câmara esteve presente desde o início deste projeto” continua José António Soares “e esperamos continuar a apoiar, este que é um chamamento à população e visitantes não só para a vila, mas também freguesias do nosso concelho.”

O apelo de Terry Costa, na abertura do maior certame artístico a acontecer nos Açores, incluiu ainda o incentivar a abertura de mais espaços para as artes nas ilhas, especialmente fora das cidades. “Hoje, a quinta edição do fringe abre com exposições de arte que nos levam a vários cantinhos da vila: domingo à noite, abrimos a Paim Bookhouse Gallery em Santa Luzia, uma casa privada que vira galeria e livraria, mas ainda não temos, na nossa vila, um espaço dedicado exclusivamente à apresentação de arte – uma galeria, e isso era importante para o desenvolvimento e apresentação de séries e coleções de arte de relevo” terminou, assim, Terry Costa, a sua intervenção da abertura, agradecendo a todos os participantes e parceiros, que são cada vez mais necessários, com o brinde já habitual de Lajido, da Picowines.

O evento de abertura levou o público desde a Delegação do Pico da ALRAA, onde se encontram exposições de Fátima Madruga e do Projeto Tricô, ao Edifício da Segurança Social da Madalena com “De Lavas, Vinhas e Vinhos”, pintura de Manoel Costa; Hotel Caravelas, C.V.R. Açores e Linu Pastelaria, com trabalhos de José Feliciano e Pedro Silva celebrando a Cidade do Vinho e Picowines em fotografia. Na Câmara Municipal da Madalena, o público teve ainda oportunidade de ver a Exposição Fringe Coletiva que abraça mais de 20 artistas e ainda os trabalhos de 14 estudantes da EBS Lajes do Pico departamento de Artes Visuais.

MA / Mark Marques | Info-Fajãs

29.05.2017

Foto:  Ana M. Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *