Deputada Catarina Cabeceiras afirma: “Faltam meios aos serviços públicos de turismo e ambiente na Ilha de São Jorge “

10384675_887107497974564_4751656492035204867_n

A Deputada do CDS-PP Açores Catarina Cabeceiras questionou, esta segunda-feira, o Governo Regional sobre o quadro de pessoal da Secretaria Regional de Energia, Ambiente e Turismo na ilha de São Jorge, considerando que turismo e ambiente são setores fulcrais para o futuro da ilha, mas que sem profissionais e sem qualificações não se prestará um bom serviço.

Num requerimento entregue no Parlamento dos Açores, Catarina Cabeceiras interpela assim o executivo socialista sobre os funcionários de quadro de ilha afetos à secretaria regional com competência em matéria de ambiente e turismo, bem como sobre a quantidade de pessoas que estando a desempenhar funções nos serviços públicos se encontrem ao abrigo dos chamados programas ocupacionais.

“O turismo e o ambiente são setores aliados, sendo o turismo um setor em crescimento na nossa Região e, com interessantes desempenhos. Para manter o impacto positivo ao nível da geração de riqueza e criação de emprego é fundamental consolidar a oferta, garantir a sustentabilidade do setor e a imagem turística da Região, bem como assegurar a prestação de um serviço de qualidade, também, por parte dos Serviços Governamentais, que passa pelos meios humanos e técnicos”, refere a deputada popular. “A Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo tem diversas responsabilidades e valências na Ilha de S. Jorge, como a manutenção de ribeiras e trilhos, gestão das reservas naturais, proteção e limpeza da orla costeira”, salienta a parlamentar eleita precisamente pela ilha das fajãs, considerando que “a qualificação dos profissionais de turismo, também passa pela qualificação dos quadros de pessoal afetos à Direção Regional do Turismo, com vista a uma oferta turística cada vez mais qualificada, dando também resposta às necessidades nas suas diversas vertentes”.

Para além destas competências, Catarina Cabeceiras frisa que, no caso de São Jorge, a Direção Regional do Turismo tem a seu cargo o atendimento ao público nos diversos Postos de Turismo na Ilha, assim como a manutenção dos trilhos pedestres homologados que não pertencem ao Parque Natural de Ilha.

Ora, perante isto, a Deputada do CDS-PP quer saber do Governo Regional “quantos Assistentes Operacionais, de forma discriminada por Serviço de Ilha, pertencentes ao Quadro Regional de Pessoal da Ilha de S. Jorge da Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo encontram-se a desempenhar funções nas diversas valências da Secretaria, nomeadamente na manutenção de ribeiras e trilhos, gestão das reservas naturais, proteção e limpeza da orla costeira?” e “quantos trabalhadores integrados em Programas Ocupacionais, de forma discriminada por tipo de programa e Serviço de Ilha afeto, se encontram a desempenhar o mesmo tipo de função?”.

Por outro lado, Catarina Cabeceiras questiona ainda sobre “qual o Quadro Regional de Pessoal da Ilha de S. Jorge afeto à Direção Regional de Turismo, discriminado por categoria e função que desempenham?”, assim como “qual o número de trabalhadores integrados no âmbito de Programas Ocupacionais ou outro a desenvolver funções enquadradas nas funções da Direção Regional do Turismo, discriminado por tipo de programa?”

GPCDS-PP/ Mark Marques | Info-Fajãs

30.10.2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *