DIA MUNDIAL DA PAZ – (Opinião de Manuel Azevedo)

12107971_1302553246437576_7122610584514588450_n

Embrenhados, ainda, nas festividades do Natal, quase não nos damos conta que começou mais um ano. Quem se lembrou que a 1 de janeiro se celebrou o Dia Mundial da Paz? Instituído por Paulo VI, agora santo, no rescaldo do presépio e da paz ativa que Jesus nos inspira (a passiva é pasmaceira), hoje, a Igreja teima em continuar a celebrá-lo, propondo-nos para reflexão temas que não tendo a ver só com a ausência de guerra, nem por isso deixam de ser importantes para a Paz. Vejamos o tema que o Papa Francisco, na senda do que fizeram os seus antecessores, nos propõe para este ano de 2020: a paz como caminho de esperança, diálogo, reconciliação e conversão ecológica. A ecologia é, também, uma preocupação da Igreja. É ver a encíclica deste Papa: Laudato Si. A conversão ecológica passa, também, por lê-la e, sobretudo, pô-la em prática.

A Paz começa a construir-se em cada casa, em cada grupo, em cada comunidade. Só depois é que podemos ir mais além. Evitar o consumismo egoísta, sim, porque o consumismo pode ser altruísta, é uma boa maneira de construir a Paz na nossa comunidade.

Quando foi instituído este dia, cantava-se: “A Paz, assim, ninguém a faz” e “Menino, não queiras a guerra na tua herança”, músicas do Dionísio e, penso que letras do, recentemente, falecido, J. Bettencourt. Se bem que naquele tempo a paz era, sobretudo, ausência de guerra, hoje, tem, também, preocupações ambientais. Para isso nos alerta o Papa. Sem radicalismos. Os jovens estão mais despertos para isso e vão “catequizando” os mais velhos. Nem todos…

As alterações climáticas são uma realidade. Ver para crer. E todos nós estamos a sofrer as consequências. É, pois, nossa obrigação tomar atitudes para que elas não se verifiquem. Assim, também, estamos a fazer a Paz. É nossa obrigação deixar aos nossos filhos e netos, afinal, a toda a sociedade, uma terra diferente da que recebemos. Mas, pelo andar da carruagem…

Neste ano de 2020, construamos a PAZ!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *