DIA MUNDIAL DO DOENTE “Senhor, o teu amigo está doente!” Jo. 11,3 – (Padre Alexandre Medeiros)

37602537_10212136005500930_6928576237577175040_o

Celebrou-se a 11 de fevereiro o Dia Mundial do Doente, efeméride instituída por João Paulo II em 1992, enquanto jornada de reflexão e de oração sobre as situações tão variadas de doença que atingem a Pessoa humana.

O dia da festa de Nossa Senhora de Lourdes, foi a data escolhida pelo Santo Padre, para a celebração da Jornada Mundial do Doente, atendendo a que aquele santuário mariano – situado em França – é dos lugares sagrados mais procurados pelas pessoas doentes para obter a cura das suas enfermidades e, também, porque a Virgem Santa Maria sempre foi invocada pelos crentes como a Saúde dos Enfermos.

Para iluminar a comemoração do Dia Mundial do Doente, em cada ano, os Romanos Pontífices tem escrito uma Mensagem que é dirigida sobretudo às pessoas que passam por enfermidades e aos profissionais de Saúde. Neste ano de 2020, o tema escolhido pelo Papa Francisco baseia-se na expressão evangélica “Vinde a Mim, todos os que estais cansados e oprimidos, que Eu hei-de aliviar-vos.”  – Mt. 11,28.

A doença – física, psicológica ou espiritual – tem sido companheira de viagem ao longo do percurso da nossa vida e das vidas de todos os que connosco compartilham esta Casa comum. Não há nada pior do que estar doente! Ao sofrimento próprio da enfermidade, junta-se a quebra dos ritmos do dia-a-dia e a nossa alma é povoada pela angústia e pela incerteza relativamente ao futuro próximo.

A par dos cuidados de saúde – que têm progredido imenso nos últimos tempos – a pessoa crente, que passa pela provação da doença, encomenda-se à misericórdia de Deus para obter a cura dos seus males, ou para alcançar a virtude da paciência, para que a cruz seja carregada, seguindo o exemplo de Cristo Senhor.

Percorrendo as páginas dos Evangelhos, vemos o cuidado e a ternura de Jesus para com os doentes. A muitos curou, manifestando assim que era Filho de Deus! A fama dos seus milagres espalhou-se pela imensidão da Palestina e muitas famílias vinham ao Seu encontro, para que Jesus impusesse as mãos sobre os seus doentes.

Seguindo os passos do Senhor, os seus discípulos devem acompanhar a Pessoa doente com humanidade, carinho e misericórdia. Os remédios e os tratamentos prescritos pela medicina são importantes para o restabelecimento da saúde, mas é essencial que o Doente seja tratado com os remédios da compreensão, do respeito e da bondade.

Profissionais de saúde cristãos, recebem de Jesus a missão evangélica de tratar com humanidade e com amor os Doentes, fazendo-lhes compreender que a sua vida, sempre vale a pena!

Padre Alexandre Medeiros

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *