PENSA COMIGO! – (OPINIÃO AIRES REIS)

18309113_10212488921199035_2039734006_n

A requalificação urbana da Vila da Calheta vai iniciar-se brevemente, como podemos constatar pela montagem do respectivo estaleiro junto à Igreja Matriz.

Esta obra, pelas alterações que introduz, merece a maior atenção da população, pois incorpora decisões que vão alterar aspectos importantes da Vila.

Apenas dois exemplos:

No largo do Cais, onde existe um aglomerado de comércios e serviços, a Câmara prepara-se para retirar parte dos estacionamentos.

Como se isso não bastasse, quando confrontados, argumentam que, se os barcos que se encontram no cais forem, também eles, deslocalizados, esses espaços poderiam servir para estacionamento. Ora, não nos parece razoável obrigar as pessoas, por exemplo, a transportar carrinhos de compras até à outra ponta do cais.

Não deixa de ser curioso que as autarquias, por este país fora, tenham especial preocupação em criar estacionamentos nas zonas de comércio, enquanto na Calheta se projecta o contrário.

Um pouco mais à frente, junto à Igreja Matriz, a Câmara vai mandar entulhar o Campo de Voleibol de Praia, para criar um parque de estacionamento.

Todos sabemos que é importante resolver este problema da Rua 25 de Abril, mas esta opção revela a escolha mais fácil, própria de uma preocupante e habitual ligeireza de pensamento.

Claro que esta solução beneficiaria os moradores daquela zona e seria bastante utilizada em Missas de festa, casamentos ou funerais, de maior participação. Mas será a melhor localização para dia a dia das pessoas?

Quantos de nós estacionarão a sua viatura naquele local para se dirigirem aos CTT, à Câmara Municipal, às instituições bancárias e a outros serviços e comércios instalados no centro da Vila?

É uma evidência que, para se criarem estacionamentos eficazes, na Rua 25 de Abril, será necessário recuar a respectiva muralha. Não há outra solução.

Depois, existem ainda outras duas razões que deveriam ter sido consideradas, se esta obra tivesse sido bem pensada.

A primeira, tem a ver com um ante-projecto, que existe na Câmara Municipal, desde a presidência de Duarte Silveira, para a construção de uma piscina na zona do calhau, junto ao Campo de Voleibol. Ora, o estacionamento em causa só se justificaria se o projecto contemplasse a construção da referida piscina, o que infelizmente não acontece.

A segunda razão, é a importância que o Campo de Voleibol de Praia assume, em termos desportivos e sociais, para esta Vila. São dezenas de jovens atletas, especialmente nos meses de férias, que ali se concentram, em convívios desportivos ou em competições.

Desactivar aquele espaço e reencaminhar estes jovens para os campos de areia mais próximos (Fajã dos Vimes ou na Vila das Velas), não parece ser uma ideia encantadora.

Em resumo, o projecto de requalificação urbana da Vila da Calheta – que a grande maioria dos calhetenses infelizmente desconhece – deveria merecer uma atitude mais firme da nossa sociedade.

No nosso entender, este projecto só faz sentido se contemplar a referida piscina e uma boa alternativa de localização para o campo de voleibol de praia.

Estamos no momento certo para reagir a esta obra e, ao mesmo tempo, perceber qual dos dois candidatos à presidência da Câmara, está mesmo decidido a promover a transformação que a Vila da Calheta tanto precisa.

Calheta, 25 de Agosto de 2021

Aires Reis

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *