QUEIJO SÃO JORGE – Uniqueijo aposta na conquista de novos mercados e no turismo

QU

A Uniqueijo lançou uma nova embalagem de queijo de São Jorge que permite provar quatro curas diferentes: três, quatro, sete e 12 meses.
“O mercado cada vez pede porções mais pequenas e também foi uma forma de o valorizar”, adiantou, em declarações aos jornalistas, António Aguiar, presidente da administração da Uniqueijo, à margem do lançamento do novo produto.
Cada embalagem traz quatro porções de 60 gramas de cada cura, sendo aproveitados os centros dos queijos, que antes eram ralados. Esta transição vai, por isso, aumentar o valor comercial do queijo, segundo António Aguiar, ao mesmo tempo que dá resposta à procura do mercado.
E nem só entre os consumidores locais se procuram porções mais pequenas do queijo de São Jorge. A embalagem, que apresenta uma imagem moderna, foi criada também a pensar em quem visita a ilha.
“Vai ao encontro do nosso turismo. Acho que é um pack engraçado e o turismo tem subido bastante na ilha de São Jorge”, salientou o presidente do conselho de administração da Uniqueijo.
Entre 2016 e 2018, as visitas de turistas à Uniqueijo cresceram 43%, tendo atingido no último ano mais de 2600. Esta nova embalagem surge como uma recordação mais apetecível.
“Nem sempre as pessoas podem levar um queijo inteiro e assim têm a oportunidade de levar porções mais pequenas e experimentar noutros sítios”, frisou António Aguiar.
Para além deste novo produto, a Uniqueijo criou também uma embalagem para servir a bordo de aviões, em classe executiva, e prepara-se para conquistar novos mercados.
“Temos alguns projetos em cima da mesa. Tudo indica que iremos entrar no mercado da Escandinávia na primeira semana de março. Acho que é um mercado interessante e realmente está interessado em porções mais pequenas”, avançou o responsável da Uniqueijo.
Quanto às embalagens com quatro curas, estão já à venda na Uniqueijo e a caminho de Lisboa, onde serão comercializadas pela Lactaçores.
Questionado sobre as dificuldades de escoamento de stocks, registadas nos últimos anos, António Aguiar disse que o problema já pertence ao passado.
“Ao longo de 2018 baixámos bastante o nosso stock e, neste momento, temos uma carteira de vendas que ainda vai melhorar mais a situação. O tempo difícil que nós tivemos está ultrapassado”, apontou.

DI / MM/ Info-Fajãs

Foto – DI

08.02.2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *